Wiki Bíblia
Advertisement

Abraão (hebraico: אברהם; "pai de muitos"), nascido Abrão (hebraico: אברם; "pai exaltado") foi um patriarca bíblico e o ancestral de muitas nações. Ele foi um profeta de YHWH, que fez uma aliança com ele e seus descendetes. O sinal desta aliança era o ritual de circuncisão de todos os homens. Ele foi o fundador e patriarca da linhagem de Isaque, Jacó e as Doze Tribos de Israel. Ele também é um ancestral de Jesus Cristo.

Abrão foi com seu pai, Terá, e outros familiares de Ur dos Caldeus para Harã, na região dos filhos de Sem. Lá ele foi chamado por YHWH aos 75 anos. Embora tivesse filhos prometidos, sua esposa Sarai era estéril, então ela procurou resolver o problema por conta própria, entregando sua serva egípcia Agar a Abraão para lhe dar um filho, Ismael.

Quando Ismael se tornou um adolescente, seu pai idoso e sua madrasta (com 100 e 90 anos, respectivamente) teriam milagrosamente um filho chamado Isaque! No ano anterior, porém, as cidades de Sodoma e Gomorra foram destruídas, embora Abraão tivesse implorado por sua segurança por causa de seu sobrinho .

Quando ele tinha 137 anos, Sara morreu. Então Abraão arranjou um casamento entre seu filho e sua sobrinha-neta, Rebeca. Algum tempo depois, ele se casou com Quetura, sua concubina, com quem teria seis filhos. Esses filhos estabeleceriam tribos fora da influência imediata de Abraão. No entanto, algumas das tribos interagiriam com seus descendentes.

Abraão viveria até os 175 anos, vendo o nascimento de seus netos gêmeos, Esaú e Jacó. Seu filho distante, Ismael, se reconciliaria com seu irmão Isaque quando os dois enterraram Abraão ao lado de sua esposa Sara na caverna de Macpela, perto de Manre.

Personalidade[]

Abraão era um homem de Fé que não se deixou abater pelo politeísmo de seu pai e das pessoas em cuja terra vivia.

História[]

Juventude[]

Terá, nona geração de Noé, gerou a Abrão, a Naor e Harã.[1] O primeiro filho de Terá nasceu quando ele tinha setenta anos, e Abrão nasceu quando seu pai tinha cento e trinta anos. Toda a família vivia em Ur dos Caldeus. Harã morreu ainda durante a vida de Terá, mas antes ele gerou a .[2] Abrão casou-se com Sarai, sua meia-irmã paterna. Algum tempo após a morte de Harã, Terá levou seus filhos e netos para sua terra natal, Harã, onde Terá faleceu em Harã aos 205 anos.[3]

Em Harã, Abrão recebeu um chamado divino para deixar a terra de sua família e se estabelecer na terra que Deus lhe indicaria. Nesta passagem Deus anunciou diretamente ao patriarca bíblico que ele se tornaria uma grande nação, faria seu nome ser grande, abençoaria aos que que o abençoasse e amaldiçoaria os que o amaldiçoassem. Abrão tinha 75 anos quando deixou Harã com sua esposa Sarai, seu sobrinho Ló, e os bens e almas que haviam adquirido, e viajou para Siquém em Canaã. Depois armou a sua tenda a leste de Betel, e edificou um altar entre Betel e Ai. Algum tempo depois, Abraão continuou para o sul até o Neguev para explorar e ocupar a terra. [4]

Egito[]

Ocorreu uma grande fome em Canaã, então Abrão decidiu ir para o Egito. Temendo que os egípcios cobiçassem Sarai por sua beleza e o assassinato para tê-la, Abrão pediu a ela que não revelasse que eles eram marido e mulher. Sarai concordou e quando os oficiais do Faraó a viram, eles a levaram para seu soberano. Durante o tempo em que a esposa de Abrão pertencia ao faraó, ele se tornou nobre e enriqueceu muito, adquirindo muitos animais e servos. No entanto, logo veio uma praga sobre o Egito e Faraó descobriu que Sarai era esposa de Abrão e então a devolveu e deu-lhe mais presentes, com a condição de que deixassem o Egito.[5]

Separação[]

Depois de deixar o Egito, Abrão passou a viver como nômade por algum tempo. Ele finalmente retornou à sua escolha original de assentamento entre as cidades de Betel e Ai. Abrão e seu sobrinho Ló viveram nessa área. Depois que eles deixaram o Egito, Ló juntou gado e teve muitos pastores sob seu comando. No entanto, os rebanhos de tio e sobrinho pastavam nas mesmas áreas, e os pastores começaram a brigar. Para resolver o conflito, e evitar irritar os nativos, Abrão pediu a Ló que escolhesse uma direção para se mover e ele se moveria na direção oposta. Ao inspecionar a terra, Ló escolheu ir para o leste até a planície do Jordão, onde a terra era bem irrigada, e ele habitou nas cidades da planície perto de Sodoma.[6] Abrão foi para o sul, para Hebron, e se estabeleceu na planície de Manre, onde construiu outro altar para adorar a Deus.[7]

Batalha com Quedorlaomer[]

Os reis das cidades da planície do Jordão (Sodoma, Gomorra, Adama, Zeboim e Zoar) pagaram tributo ao rei Quedorlaomer de Elão durante doze anos, mas se rebelaram no décimo terceiro. Isso levou Quedorlaomer a declarar guerra e a convocar seus vassalos do norte Anrafel de Sinar, Arioque de Elasar e Tidal de Goim. Uma força das cidades da planície saiu ao encontro das forças de Quedorlaomer e uma batalha se seguiu no Vale de Sidim. Os elamitas e seus aliados venceram a batalha. Derrotados, os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram, e algumas das suas tropas caíram nos "poços e mais poços de betume" que prevaleciam naquela área. As forças das cidades do norte saquearam as cidades da planície, levando a muitos como cativos, incluindo Ló e sua família.[8]

No entanto, alguém conseguiu escapar e foi até Abrão e contou o que havia acontecido. Quando ele soube o que aconteceu, ele reuniu 318 homens para a batalha, junto com o apoio de seus aliados (os irmãos Manre, Escol e Aner), perseguiu o exército. Eles alcançaram os elamitas em Dã, onde Abrão elaborou um plano de batalha dividindo seu grupo em mais de uma unidade e lançou um ataque noturno. Eles não apenas conseguiram libertar os cativos, como também perseguiram e massacraram o rei elamita em Hobá, ao norte de Damasco. Eles libertaram todos os bens e cativos tomados de Sodoma, incluindo Ló e sua família.[9]

Após o retorno de Abrão, Bera rei de Sodoma saiu para encontrá-lo no vale de Save, o "vale do rei", onde ele agradeceu a Abrão e disse que ele poderia ficar com todos os bens tomados se ele devolvesse o povo. Abrão recusou, dizendo: "Eu jurei que nunca tiraria nada de você, então você nunca pode dizer 'Eu enriqueci Abrão'". O que Abrão aceitou de Bera foi comida para seus homens.[10]

Além disso, Melquisedeque, rei de Salém e um sacerdote de El Elyon, trouxe pão e vinho e abençoou Abrão e Deus dizendo: "Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, Criador dos Céus e da Terra. E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos.[11]

Aliança Abraâmica[]

Nessa época, Abrão não tinha filho, devido à infertilidade de sua esposa. Assim, ele fez de seu maior servo, Eliézer de Damasco, o herdeiro de sua propriedade. Quando o Senhor veio a Abrão dizendo-lhe para não ter medo, Abrão perguntou a Deus o que ele poderia lhe dar se não tivesse um filho. YHWH respondeu dizendo-lhe que o herdeiro da propriedade não seria seu servo Eliezer, mas um filho dele. O Senhor também descreveu a Abrão a terra que sua descendência reivindicaria: a terra dos queneus, dos quenezeus, dos cadmoneus, dos hititas, dos ferezeus, dos refains, dos amorreus, dos cananeus, dos girgaseus e dos jebuseus".[12]

Agar[]

Sendo Sarai estéril, ela deu a seu marido Agar, sua serva egípcia, para que gerasse um filho. Agar então gerou a Ismael, considerado pelos muçulmanos como o ancestral dos povos árabes. Antes mesmo do nascimento de Ismael, surgiram conflitos entre as duas mulheres, pois, depois de descobrir que estava grávida, Agar começou a desprezar sua senhora. Sarai respondeu maltratando Agar, e esta fugiu para o deserto. Um anjo falou com Agar na fonte no caminho para Shur. Ele a instruiu a retornar ao acampamento de Abrão e que seu filho seria "Ele será como jumento selvagem; sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele, e ele viverá em hostilidade contra todos os seus irmãos". Ela foi instruída a chamar seu filho de Ismael. Daquele dia em diante, o poço foi chamado "Beer-Laai-Roi" ("O poço daquele que vive e me vê."), localizado entre Kadesh e Bered. Ela então fez como foi instruída, voltando para sua senhora para ter seu filho. Abrão tinha 86 anos quando Ismael nasceu.[13]

Mudança de nome e circuncisão[]

Aos noventa e nove anos, novamente Deus apareceu a Abraão, reconfirmando Sua promessa. Deus ordenou que Abraão e todos os homens de sua casa fossem circuncidados. E que toda criança do sexo masculino que nascesse receberia esse sinal ao oitavo dia. Esse sinal deveria estar tanto nos nascidos quanto nos comprados e que qualquer um não circuncidado seria eliminado do povo por ter quebrado a aliança.[14]

Deus também mudou o nome de Sarai para Sara e disse a Abraão: também por meio dela darei a você um filho. Sim, eu a abençoarei e dela procederão nações e reis de povos. Abraão riu e "disse a si mesmo: 'Poderá um homem de cem anos de idade gerar filhos? Poderá Sara dar à luz aos noventa anos?'"[15]

Imediatamente após esse encontro, Abraão circuncidou todos os homens de sua família, incluindo ele mesmo e Ismael.[16]

Três visitantes[]

Não muito tempo depois, durante o calor do dia, Abraão estava sentado à entrada de sua tenda junto aos carvalhos de Manre. Ele olhou para cima e viu o Senhor e Seus anjos como três homens. Então ele correu e se curvou até o chão para recebê-los. Abraão então se ofereceu para lavar os pés e buscar comida, ao que o Senhor concordou. Abraão correu para a tenda e pediu a Sara para fazer pães com farinha da melhor qualidade, depois ordenou a um criado que preparasse o melhor novilho. Quando tudo estava preparado, ele colocou coalhada, leite e o bezerro diante deles, servindo-os, sob uma árvore, enquanto comiam.[17]

Um dos visitantes disse a Abraão que, ao voltar no ano seguinte, Sara teria um filho. Enquanto estava na entrada da tenda, Sarah ouviu o que foi dito e riu consigo mesma sobre a perspectiva de ter um filho naquela idade. O visitante perguntou a Abraão por que Sara riu de ter um filho em sua idade, já que nada é muito difícil para Deus. Assustada, Sara negou.[18]

Súplica de Abraão[]

Quando YHWH e Seus anjos se preparavam para partir, eles avistaram Sodoma. Então o Senhor disse a Abraão que os pecados de Sodoma e Gomorra eram tantos e tão graves que Ele enviaria Seus anjos para averiguar. Quando os anjos partiram, Abraão suplicou ao Senhor, perguntando o que haveria se fossem encontrados cinquenta justos, ao que Ele respondeu que pouparia a cidade por amor aos justos. Então Abraão repetiu a pergunta com quarenta e cinco, quarenta, trinta, vinte e dez, e a cada vez o Senhor disse que pouparia a cidade.[19] Na manhã seguinte, Abraão voltou ao lugar e viu uma fumaça densa saindo da terra.<ref>Gênesis 19:27,28<ref>

Abimeleque[]

Isaque[]

Anos seguintes[]

Curiosidades[]

  • Em Gênesis 11:26 diz: "E viveu Terá setenta anos, e gerou a Abrão, a Naor, e a Harã." Isso dá a entender que Abrão seria o filho mais velho de seu pai, no entanto, Gênesis 11:32 diz: "E foram os dias de Terá duzentos e cinco anos, e morreu Terá em Harã." e Gênesis 12:4 diz: "Assim partiu Abrão como o Senhor lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos quando saiu de Harã." Se Abrão saiu de Harã com setenta e cinco anos após seu pai morrer aos duzentos e cinco, isso significa que Abrão nasceu quando Terá tinha cento e trinta anos, sessenta anos depois do nascimento do primogênito.

Referências[]

  1. Gênesis 11:26
  2. Gênesis 11:27,28
  3. Gênesis 11:31,32
  4. Gênesis 12:1-9
  5. Gênesis 12:10-20
  6. Gênesis 13:6-12
  7. Gênesis 13:18
  8. Gênesis 14:1-12
  9. Gênesis 14:13-16
  10. Gênesis 14:21-24
  11. Gênesis 14:19,20
  12. Gênesis 15
  13. Gênesis 16
  14. Gênesis 17:1-14
  15. Gênesis 17:16,17
  16. Gênesis 17:23-27
  17. Gênesis 18:1-8
  18. Gênesis 18:10-15
  19. Gênesis 18:16-33
Advertisement