Wiki Bíblia
Advertisement

"Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada."
— Adão, Gênesis 2:23

Adão e Eva foram os primeiros homem e mulher, respectivamente, criados por Deus no Sexto Dia da Criação. Ambos foram criados à Sua imagem e semelhança e viviam em um mundo puro, sem dor ou pecado para cuidar de Sua criação[1] e povoar a terra.[2]

No entanto, tentados pela Serpente e seduzidos pelo Maligno, ambos caíram em tentação e pecaram contra Deus. A rebelião contra a autoridade do Senhor resultou em dor e sofrimento para eles e toda a sua descendência. [3] Deus também os expulsou do Jardim, para cultivar o solo a partir do qual foram criados.[4]

História[]

Antes da Queda:[]

Adão foi criado no sexto dia da criação, do pó da terra, por Deus, à Sua própria imagem e semelhança, para ser o zelador dos recursos da Terra.[1] Na época de sua criação, Adão recebeu apenas vegetação para comer, mas não podia comer da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal enquanto estava no Jardim do Éden. De todas as criaturas, apenas Adão foi feito a semelhança e imagem do Deus Altíssimo.

Deus também trouxe diante de Adão todos os animais do campo e pássaros do céu, no entanto, nenhum foi encontrado adequado para ele. Portanto, Deus colocou Adão em um sono profundo e tirou-lhe uma costela, da qual Ele formou Eva, a primeira mulher e companheiro de Adão.[5]

Por ter sido criada da costela, não da cabeça e nem do pé, ela deveria atuar como esposa e co-igual de Adão, bem como também ter filhos com ele e povoar a terra com a humanidade. Adão se alegrou, pois todos os animais tinham suas esposas, menos ele. Mas agora ele tinha uma que era "osso dos meus ossos e carne da minha carne",[6] e assim o casamento foi formado.

Adão e Eva viveram juntos, na companhia dos animais e das plantas, tendo contato direto com Deus e Seus filhos, felizes e completos em paz e amor. Eles poderiam comer de qualquer árvore, exceto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, porque ela lhes causaria a morte

A Queda:[]

Um dia, o Maligno procurou ludibriar o homem e afasta-lo do caminho do Senhor. Usando a bela e astuta serpente, o Maligno enganou a Eva, dizendo-lhe que comer da árvore não a mataria, ao contrário, elevar-lhe-ia o conhecimento, pois seriam "como Deus, conhecedores do bem e do mal."[7] De início, Eva hesitou, então a serpente tirou o fruto de sua árvore e colocou-o nas mãos de Eva. A serpente então lembrou-a de suas próprias palavras: "Não comam do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem toquem nele; do contrário vocês morrerão."[8] E mostrou a Eva que ela não havia morrido, embora tivesse tocado no fruto, e disse então que não seria maior mal comê-lo. Assim Eva viu que o fruto era agradável ao toque e aos olhos e decidiu comê-lo. Vendo Adão que Eva não havia morrido ao comer o fruto, ele foi e cometeu o mesmo erro que sua esposa.[9]

Assim que comeram, a veste de luz que os rodeara desapareceu, e para suprir sua falta eles procuraram uma coberta, pois enquanto estivessem nus eles não enfrentariam o olhar de Deus e de Seus anjos.

Satanás exultou com seu êxito. Tinha tentado a mulher e ao homem a desconfiar do amor de Deus, a duvidar de Sua sabedoria, e a transgredir a Sua lei.

Manifestou-se no Jardim a Divina Presença. Enquanto cobertos pela inocência Adão e Eva recebiam-no alegremente, no entanto, agora eles fugiam com medo, e procuraram esconder-se. "Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: 'Onde está você?' E ele respondeu: 'Ouvi teus passos no jardim e fiquei com medo, porque estava nu; por isso me escondi.' E Deus perguntou: 'Quem lhe disse que você estava nu? Você comeu do fruto da árvore da qual lhe proibi comer?'"[10] Adão não podia negar nem desculpar seu erro, mas, ao invés de arrepender-se, ele preferiu lançar a culpa sobre Eva e disse ao Senhor: "A mulher que me deste por companheira deu-me do fruto da árvore, e eu comi."[11]

"Por que criaste a serpente? Por que lhe permitiste entrar no Éden?" Tais eram as perguntas envolvidas em suas desculpas. Assim como Adão lançou sobre a mulher a culpa pela sua queda e Eva lançou a culpa sobre a serpente, os dois questionaram o próprio Deus sobre sua queda. O espírito da auto justificação e da impenitência originaram-se com o pai da mentira e foram alimentados pelo homem e pela mulher logo que se renderam à influência de Satanás, e tem sido apresentado por todos os filhos de Adão e as filhas de Eva. Em vez de confessarem sua transgressão, eles procuraram lançar a culpa sobre outros, sobre as circunstâncias, ou mesmo sobre o Senhor.

"Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo! Sobre o teu ventre andarás, e do pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a dela: esta lhe ferirá a cabeça e você lhe ferirá o calcanhar."[12] Visto que havia sido empregada como o intermediária de Satanás, a serpente devia participar da visitação do juízo divino. Da mais linda e admirada das criaturas do campo, tornar-se-ia na mais rasteira e detestada de todas elas, temida e odiada tanto pelo homem como pelos animais.

Dirigindo-se a Eva ele disse: "Multiplicarei grandemente a tua dor; com sofrimento dará à luz a teus filhos. Teu desejo será para teu marido, e ele te dominará."[13] Na criação Deus a fizera igual a Adão. Se houvessem eles permanecido obedientes a Deus sempre estariam em harmonia um com o outro; mas o pecado trouxe a discórdia, e agora poderia manter-se a sua união e conservar-se a harmonia unicamente pela submissão por parte de um ou de outro.

Eva tinha sido perfeitamente feliz ao lado do esposo, em seu lar edênico; mas, semelhante às inquietas Evas modernas, lisonjeou-se com a esperança de entrar para uma esfera mais elevada do que aquela que Deus lhe designara. Tentando erguer-se acima de sua posição original, caiu muito abaixo da mesma. Idêntico resultado será alcançado por todos os que estão indispostos a assumir esforços para atingirem posições para as quais Ele não as adaptou.

A Adão disse o Senhor: "Porquanto deste ouvidos à tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos e ervas daninhas ela te produzirá; e comerás a erva do campo. Com suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; do pó viestes ao pó retornarás."[14]

Não era a vontade de Deus que o casal sem pecados conhecesse algo do mal. Livremente lhes dera o bem, e lhes recusara o mal. Mas, contrariamente à Sua ordem, haviam comido da árvore proibida. Desde aquele tempo o gênero humano seria afligido pelas tentações de Satanás. Em vez do trabalho feliz até então a eles designado, a ansiedade e a labuta seriam seu quinhão. Estariam sujeitos ao desapontamento, pesares, dor e, finalmente, à morte.

Sob a maldição do pecado, a natureza toda devia dar testemunho da rebelião do homem contra Deus. Quando o YHWH fez o homem, Ele o fez governador sobre a Terra e todas as criaturas viventes. Enquanto Adão permanecesse fiel ao Senhor, toda a natureza estaria sob a sua sujeição. Quando, porém, se rebelou contra a lei divina, as criaturas ficaram em rebelião contra o seu domínio. Assim o Senhor, em Sua grande misericórdia, mostraria aos homens a santidade de Sua lei, e os levaria por sua própria experiência a ver o perigo de a pôr de lado.

E a vida de labutas e cuidados que dali em diante deveria ser o quinhão do homem, foi ordenada com amor. Uma disciplina que se tornara necessária pelo seu pecado, foi o obstáculo posto à satisfação do apetite e paixão, e o desenvolvimento de hábitos de domínio próprio. Fazia parte do grande plano de Deus para a restauração do homem, da ruína e degradação do pecado. A advertência feita a Adão e Eva ("Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás."[15]), não implicava que eles morreriam no próprio dia em que comessem do fruto proibido. Implicava que a irrevogável sentença seria pronuncia e a imortalidade ser-lhes-ia despojada, e naquele mesmo dia estariam condenados à morrer.

Testemunhando eles, no murchar da flor e no cair da folha, os primeiros sinais da decadência, Adão e sua companheira choraram mais profundamente do que os homens hoje fazem pelos seus mortos. A morte das débeis e delicadas flores era na verdade um motivo para tristeza; mas, quando as formosas árvores derrubaram as folhas, esta cena levou-lhe vividamente ao espírito o fato cruel de que a morte é o quinhão de todo o ser vivente.

Após a Queda[]

Como Deus havia ordenado que eles se multiplicassem, Adão e Eva tiveram filhos, começando com Caim e Abel. Adão continuou cuidando da terra e seus filhos assumiram responsabilidades com as colheitas e o gado.[16] Em algum momento, Caim assassinou Abel e foi amaldiçoado e, por isso, apartou-se de seus pais e outros irmãos.[17]

Com a morte de Abel e expulsão de Caim dentre a sua parentela, Adão e Eva sofreram e lamentaram, arrependidos por terem pecado e percebendo que se eles não tivessem comido do fruto proibido, nenhum dos filhos dele jamais teria morrido ou se corrompido. E através da morte de Abel eles perceberam que a morte deles também chegaria e estava próxima.

Quando Adão e Eva tinham 130 anos, eles tiveram outro filho, a quem chamaram Sete.[18] Adão e Eva também tiveram "outros filhos e filhas".[19] Enquanto Adão, Eva e Sete e os filhos e filhas que viam com eles seguiam os ensinamentos do Senhor e adoravam a Ele, os filhos de Caim se distanciaram de Deus e, eventualmente, começaram a cultuar objetos e coisas.

Adão E Eva conheceram a muitos de seus descendentes e ensinaram a eles sobre o Jardim do Éden, a Criação, a queda do homem e a morte de Abel perlas mãos de Caim. Eles tentaram converter os corações dos filhos de Caim para que eles se arrependessem de seus pecados e pudessem ser salvos, mas infelizmente isso foi, em sua maior parte, infrutífero. Quando tinha Adão 622 anos nasceu Enoque, o primeiro profeta do Senhor.

Durante os anos finais de Adão, mesmo a descendência de Sete começou a se corromper. Ele morreu aos 930 anos, em uma era onde quase toda a humanidade já estava corrompida.

Legado[]

Adão e Eva deixaram um imenso legado para a terra. Eles foram os primeiros humanos, os primeiros governantes e os primeiros pecadores, com Adão sendo o primeiro humano a pecar deliberadamente contra o Senhor enquanto Eva foi enganada.[20] As ações que Adão e Eva tomaram no princípio repercutem até hoje, pois eles pecaram, e devido a isso atualmente o homem tem uma natureza inclinada para fazer aquilo que é mal aos olhos do Senhor. Devido ao pecado deles, o homem foi expulso do Jardim do Éden e o mundo foi corrompido pelo homem.

Além disso, através deles o Senhor instituiu a santidade do casamento.

Punição[]

A onda de desgraças que emanou da transgressão é considerada por muitos como uma consequência demasiado terrível para um pecado tão pequeno; e acusam Deus em Seu trato com o homem. Mas, se eles olhassem mais profundamente para esta questão, poderiam discernir o seu erro. Deus criou o homem à Sua semelhança, livre do pecado. A Terra devia ser povoada com seres algo inferiores aos anjos; mas a sua obediência seria provada, pois que Deus não permitiria que o mundo se enchesse daqueles que desrespeitassem a Sua lei. Contudo, em Sua grande misericórdia, não designou a Adão uma prova severa. E a própria leveza da proibição tornou o pecado excessivamente grande. Se Adão não pôde suportar a menor das provas, não poderia ter resistido a uma prova maior, caso houvessem sido confiadas a ele maiores responsabilidades.

Se tivesse sido designada a Adão alguma prova grande, aqueles cujo coração, se inclina para o mal desculpar-se-iam então, dizendo: "Isto é uma coisa trivial, e Deus não é tão exigente a respeito de coisas pequenas." E haveria contínua transgressão em coisas consideradas pequenas, as quais ficam sem reprovação humana. O Senhor, porém, tornou patente que o pecado, em qualquer grau, é ofensivo para Ele.

A Eva pareceu coisa pequena desobedecer a Deus provando o fruto da árvore proibida, e tentar o esposo a transgredir também; entretanto, o pecado deles abriu as portas ao dilúvio das desgraças sobre o mundo. Quem pode saber, no momento da tentação, as terríveis consequências que advirão de um passo errado?

Muitos que ensinam que a lei de Deus não está em vigor para o homem, insistem que é impossível a este obedecer aos seus preceitos. Mas, se isto fosse verdade, por que sofreu Adão a pena da transgressão? O pecado de nossos primeiros pais acarretou a culpa e a tristeza sobre o mundo, e se não fora a bondade e misericórdia de Deus, teria mergulhado a raça humana em irremediável desespero. Que ninguém se engane. "O salário do pecado é a morte". Romanos 6:23. A lei de Deus não pode ser transgredida hoje com menos impunidade do que quando fora pronunciada a sentença sobre o pai da humanidade.

Depois de seu pecado Adão e Eva não mais deviam habitar no Éden. Encarecidamente rogaram para que pudessem permanecer no lar de sua inocência e alegria. Confessaram que haviam perdido todo o direito àquela feliz morada, mas comprometeram-se para no futuro prestar estrita obediência a Deus. Declarou-lhes, porém, que sua natureza ficara depravada pelo pecado; haviam diminuído sua força para resistir ao mal, e aberto o caminho para Satanás ganhar mais fácil acesso a eles. Em sua inocência tinham cedido à tentação; e agora, em estado de culpa consciente, teriam menos poder para manter sua integridade.

Com humildade e indizível tristeza despediram-se de seu belo lar, e saíram para habitar na Terra, onde repousava a maldição do pecado. A atmosfera, que fora tão amena e constante em sua temperatura, estava agora sujeita a assinaladas mudanças, e o Senhor misericordiosamente lhes proveu uma veste de peles, como proteção contra os extremos de calor e frio.

Equivalentes Mitológicos[]

A verdade é uma só e o povo hebreu a conservou, pois se manteve conectado com o Deus Verdadeiro e o Deus Verdadeiro a manteve registrada na Bíblia Sagrada. Infelizmente, os demais povos escolheram a idolatria e criaram suas próprias versões dos fatos ao invés de aceitarem a verdade. Por conta disso, vários equivalentes e semelhanças existem entre a história de Adão e Eva e alguns mitos antigos falando acerca da criação da humanidade.

Diferente do que muitos argumentam, essas evidências não são provas de que a história de Adão e Eva é um plágio desses mitos, tanto pelo fato desses mitos terem sido produzidos posteriormente como porque eles geralmente contém mais detalhes do que a história de Adão e Eva. Na antiguidade, quando um mito copiava o outro, a cópia sempre continha mais detalhes inseridos do que a original para parecer mais crível e confiável. Tantas cópias antigas em vários lugares do mundo e plágios posteriores feitos da história de Adão e Eva só comprovam a veracidade dela, mostrando que essa contém um certo fundo de verdade.

Curiosidades[]

  • Adão e Eva foram os primeiros seres humanos criados por Deus, criados por Ele de modo especial, à Sua imagem e semelhança e dotados de intelecto. Eles também foram criados com muito cuidado e carinho de matéria já existente, em contraste com os anjos e com os animais terrestres, que foram criados do nada pelo Criador.
  • Paulo cita que "pois o salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23). Quando Adão e Eva pecaram, eles automaticamente se condenaram à morte, não somente para eles, mas para toda a sua descendência também. Porque não foi só Adão que pecou, não foi só Eva que pecou, mas "pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3:23). Nós também pecamos, nós também somos errados, nós também desobedecemos a Lei de Deus e praticamos o mal. Todos nós somos culpados, e a morte eterna deveria ser a nossa condenação final. Não o inferno, como muitos cristãos imaginam, mas sim a morte eterna, o morrer para nunca mais acordar, o morrer para nunca mais reviver, o permanecer morto para sempre.
  • Antes da queda, Adão e Eva nunca ficavam doentes, nunca sentiram tristeza, não sentiam calor ou frio, nunca sentiram medo e eram imortais. No entanto, como eles pecaram, sua imortalidade foi "rescindida".
  • Antes do pecado, Adão e Eva eram puros e sua carne tinha a tendência de praticar o que era bom. No entanto, após a desobediência, a natureza se alterou, e a carne do homem se tornou atraída pelo que é mal e perverso, e por isso o homem nasce em pecado e com tendência a cometer o pecado. Não foi sem motivo que escreveu Davi: "Eis que na iniquidade fui formado, e em pecado minha mãe me concebeu."[21] É por causa disso que o homem sente atração pelo que é errado, pelo pecado. A natureza corrompida do homem é o que o faz ter conflitos internos e lutar dia após dia contra si, assim como o apóstolo Paulo que sabiamente escreveu: "Porque eu sei que em mim, isto é, em minha carne, não habita nada de bom. Porque o desejo de fazer o que é o bom está em mim, mas não o faço; Porque o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero. Ora, se eu faço o que não quero, não sou eu quem o faz, e sim o pecado que em mim habita."[22]
  • Deus criou a Arvore do Conhecimento do Bem e do Mal para dar a escolha de servi-lo ou não. Além de ser um sinal de respeito, também mostrou que Ele se importa com Seus filhos.
  • A Bíblia deixa claro que Adão não foi enganado a comer o fruto como Eva foi, mas comeu porque a amava. "E Adão não foi enganado, mas sim a mulher, que, tendo sido enganada, tornou-se transgressora." (1 Timóteo 2:14)
  • Adão e Eva nunca tiveram infância, pois já nasceram adultos e sexualmente maduros. Por outro lado, o período de pureza, no qual eles ainda não tinham pecado, vale para eles como se fosse uma infância.
  • Adão e Eva tecnicamente eram irmãos, de modo que o casamento entre eles foi incestuoso. O incesto não era proibido no início, mas foi proibido mais tarde na época de Moisés por Deus para se evitar problemas genéticos e de deficiências.

Fontes e Referências[]

  1. 1,0 1,1 Gênesis 2:15
  2. Gênesis 1:28
  3. Gênesis 3:16-19
  4. Gênesis 3:23
  5. Gênesis 2:18-25
  6. Gênesis 2:23
  7. Gênesis 3:1-5
  8. Gênesis 3:3
  9. Gênesis 6
  10. Gênesis 3:9-11
  11. Gênesis 3:12
  12. Gênesis 3:14,15
  13. Gênesis 3:16
  14. Gênesis 3:17-19
  15. Gênesis 2:17
  16. Gênesis 4:1,2
  17. Gênesis 4:8-16
  18. Gênesis 4:25
  19. Gênesis 5:4
  20. 1 Timóteo 2:14
  21. Salmos 51:5
  22. Romanos 7:18-20
Advertisement