Wiki Bíblia
Advertisement

Davi foi o terceiro rei de Israel. Escolhido por YHWH para ser o novo rei, ele foi ungidos secretamente pelo profeta Samuel em Belém de Judá. Retirado do pastoreio das ovelhas, ele provaria seu valor em batalha uma e outra vez, eventualmente se tornando mais popular que o rei Saul.

Depois de reinar em Hebrom sobre Judá durante sete anos e meio, Davi foi ungido rei de toda a Israel após o assassinato de Isbaal, filho de Saul. Davi reinaria mais trinta e três anos. Após ser ungido rei de todo o povo, Davi conquistou um Jerusalém, e a tornou a capital do reino. Depois de continuar suas campanhas militares no norte, Davi conseguiu manter a terra em relativa paz.

O sucesso político não se traduziu em felicidade pessoal, pois Davi falharia como amigo e pai em seus últimos anos. Sua paixão levaria ao pecado, com conspiração para esconder esse pecado levando a ainda mais pecado. Esse lapso de caráter levaria à morte de quatro de seus filhos. Além do primeiro filho nascido dele em Jerusalém quando criança, três de seus filhos anteriores morreriam como adultos nos últimos dias de seu governo. Assim como havia sido escolhido pelo YHWH para o cargo, seu oitavo filho, Salomão, seria escolhido para ser seu sucessor.

Biografia[]

Davi nasceu para Jessé e sua esposa em Belém de Judá. Ele era o caçula de sete ou oito filhos de Jessé. Ele também tinha duas irmãs, pelo menos uma era filha de outro pai. Jessé era um dos líderes da tribo de Judá, sendo descendente de Naassom, que foi líder de Judá.[3] Nos dias de Boaz, a terra de Elimeleque foi resgatada de acordo com a Lei, então seu filho, Obede, continuou a reivindicar a propriedade ampliada.

Como acontecia frequentemente nas famílias numerosas, a tarefa de cuidar das ovelhas recaía sobre os mais novos. No caso de Davi não foi exceção. Quando alguém tinha que ficar em casa, o trabalho sujo tinha que continuar. E isso incluía enfrentar animais selvagens para proteger o rebanho. Davi estava espiritualmente ciente, mesmo em tenra idade, de que era Deus quem o protegia nessas ocasiões.[4]

Início da carreira[]

Unção[]

Quando Saul provou ser indigno,[5] YHWH enviou Samuel a Belém de Judá ungir um novo rei.[6] Quando chegou a Belém, Samuel se reuniu com Jessé e seus filhos, com cada um dos filhos sendo apresentado para consideração.[7]

Porém Davi, o mais novo estava com as ovelhas.[8] Quando nenhum dos outros foi considerado adequado Samuel ungiu-o Davi como o sucessor de Saul, derramando óleo especial sobre sua cabeça.[9]

Servindo a Saul[]

O Espírito do Senhor deixou Saul e um espírito maligno o atormentou. Ele discutiu isso com seus servos e ordenou que encontrassem alguém para tocar harpa para ele. Davi foi recomendado, pois um servo o tinha visto e notou como ele tocava harpa, tinha bravura e traços de guerreiro, era atraente, um bom orador e homem de Deus.[10]

Saul então enviou mensageiros a Jessé, exigindo que ele enviasse Davi para entrar a seu serviço. Então Davi deixou as ovelhas para servir ao rei. Jessé enviou presente por meio de Davi: um jumento carregado de pão e vinho e um cabrito. Saul ficou tão satisfeito com o jovem que pediu a Jessé que deixasse Davi permanecer com ele, como seu escudeiro.[11]

Golias[]

Com Israel em guerra contra os filisteus, Saul recrutou todos os homens vigorosos que pôde, incluindo os três irmãos mais velhos de Davi.[12] No entanto, os filisteus recrutaram um campeão chamado Golias, um gigante de 3 metros de altura. Durante quarenta dias, de manhã e de tarde,[13] ele desafiou os israelitas a mandarem um para lutar contra ele em combate singular, com o vencedor tendo o seu rival sujeito a ele e seua liados.[14]

Jessé, preocupado com seus filhos, enviou Davi para entregar pão e grãos para ele, bem como um presente de queijos para o comandante.[15] Logo na manhã seguinte, Davi deixou as ovelhas de seu pai com outro pastor e partiu com os suprimentos.[16] Assim que chegou ao acampamento, ele entregou o que havia trazido com o responsável pelos suprimentos e foi para a linha de batalha saber como seus irmãos estavam.[17]

Enquanto Davi conversavam com seus irmãos, Golias gritou sua exigência diária por alguém que lutasse com ele. Embora todos estivessem com medo, Davi foi encorajado pelo Senhor. Então ele perguntou aos soldados que estavam a seu lado qual a recompensa que teria o homem que matasse o filisteu. Foi-lhe dito que aquele que matasse o gigante receberia grandes riquezas, a filha do rei em casamento e isenção de impostos para sua família. O irmão de Davi, Eliabe, se aproximou dele com raiva, acusando-o de ir para lá apenas para assistir à batalha.[18]

Saul mandou chamar Davi, e ele disse que iria lutar contra Golias. No entanto, Saul não aceitou, dizendo que Davi era muito jovem e inexperiente. Davi, porém, respondeu que, como pastor, havia defendido as ovelhas de seu pai tanto de leões quanto de ursos, porque Deus estava com ele, e também estaria quando ele lutasse contra Golias.[19]

Saul se convenceu e vestiu Davi com sua túnica e sua armadura. No entanto, Davi não estava acostumado com isso e decidiu tirar a armadura, então ele pegou seu cajado e sua funda e pegou do leito do riacho cinco pedras e as colocou em seu alforje. Quando ele se aproximou de Golias, o gigante viu como ele era apenas um jovem rapaz e bonito e fez pouco caso. Em resposta, Davi desafiou Golias em nome do Senhor e disse que daria seu cadáver aos animais.[20]

Enquanto Golias se aproximava, Davi enfiou a mão em seu alforje e pegou uma pedra, que lançou com sua funda. A pedra atingiu a testa de Golias e ele caiu no chão. Então ele correu na direção do gigante, pegou sua espada e o decapitou. Com Golias derrotado, o exército israelita perseguiu os filisteus e os saqueou.[21]

Quando Davi saiu para encontrar o gigante, Saul pediu a Abner que descobrisse quem era o menino. Quando Davi voltou, Abner o trouxe diante de Saul e confirmou que ele era filho de Jessé de Belém.[22]

Após a batalha, Davi corajosamente se aventurou em Jerusalém para deixar a cabeça de Golias para que todos vissem. Na época, a cidade ainda estava nas mãos dos jebuseus, que pensavam que seus muros os mantinham seguros. Ele havia deixado a armadura e a espada do gigante no acampamento como lembranças da batalha.[23]

Popularidade crescente[]

Depois disso, Davi se tornou amigo de Jônatas, filho de Saul, e o rei o chamou para serviço em tempo integral. Embora Davi não pudesse voltar para casa regularmente, sua família estava isenta de impostos. Como parte da equipe do rei, Davi passou a ter acesso a tudo o que a classe nobre tinha a oferecer.[24]

A princípio, Saul ficou satisfeito com a popularidade de seu assistente favorito. Como Davi se mostrava tão habilidoso em fazer tudo que lhe era ordenado, eventualmente Saul o colocou em um alto posto no exército. No entanto, quando Davi começou a ser elogiado como maior em batalha do que o próprio rei, Saul ficou muito zangado, sentindo que o sucesso de Davi poderia levá-lo a um dia derrubá-lo e se tornar o novo rei. Assim Saul começou a desconfiar de cada movimento de Davi. A situação tornou-se tão ruim que mesmo quando Davi estava acalmando os ataques de Saul, este não conseguiu conter sua raiva. Um dia, Saul jogou sua lança (que ele sempre tinha a seu lado) através da sala em direção a Davi, para matá-lo, mas Davi se esquivou.[25]

Então Saul mandou Davi em sucessivas campanhas militares, das quais ele sempre saia vitorioso. Embora o povo gostasse de Davi, Saul se recusou a ver as coisas de forma positiva. Quando manda-lo para as batalhas não ocasionou sua morte, ele procurou casa-lo com sua filha, Merabe, para deixa-lo mais perto de si. Davi, porém, não se sentia merecedor de tal honra, considerando a casa de seu pai abaixo da realeza. Nada parecia funcionar, até que Mical, filha mais nova de Saul, declarou seu amor pelo jovem. Quando Davi se interessou por ela, um "acordo" foi feito, em vez do preço de noiva, Saul quis que Davi conseguisse cem prepúcios filisteus. Seu plano era que Davi fosse morto na tentativa. No entanto, Davi e seus soldados saíram e mataram 200 homens, trazendo seus prepúcios. Saul ficou ainda com mais medo de que Davi usurpasse o trono depois que ele se tornasse seu genro. Para piorar as coisas, o sucesso contínuo contra os filisteus fez com que todos gostassem mais de Davi.[26]

Plano de morte[]

Logo Saul disse a seus conselheiros sobre sua intenção de matar Davi. Devido ao relacionamento entre Jônatas e Davi, o príncipe alertou seu amigo da trama de seu pai e lhe disse para se esconder. Então, na manhã seguinte, Davi se escondeu enquanto Jônatas pediu a seu pai que reconsiderasse, porque seria assassinato matar um homem inocente. Saul concordou em não matá-lo, então Jônatas procurou Davi e contou-lhe a conversa. Então o jovem foi restaurado a seus deveres regulares no exército, e voltou a lutar contra os filisteus, atingindo-os com uma força tão poderosa que eles fugiram.[27]

Davi também voltou a tocar harpa, e Saul tentou matá-lo com uma lança, mas ele conseguiu escapar. Naquela noite, homens foram enviados ao quarto de Davi para vigia-lo e matá-lo pela manhã. No entanto, Mical conseguiu alertá-lo e ele fugiu por uma janela. Mical então pegou um terafim e colocou-o na cama e cobriu-o com roupas e pelos de animais, para disfarçá-lo. Pela manhã, os homens do rei perguntaram por Davi a Mical que lhes disse que ele estava doente.[28]

Fuga[]

Enquanto isso, Davi fugiu para Ramá e se refugiou com Samuel. Dali eles foram para Naiote, para ficar fora das mãos de Saul. No entanto, Saul foi informado e enviou homens atrás dele, no entanto, eles viram um grupo de profetas em transe e o Espírito do Senhor se apoderou dos homens de Saul e também eles entraram em transe. Quando ele soube disso, Saul enviou um segundo e um terceiro grupos, e a eles aconteceu o mesmo que aos primeiros. Então Saul foi até lá, no entanto, também ele entrou em transe.[29]

Davi conseguiu fugir e foi se encontrar com Jônatas. Quando Jônatas ouviu falar sobre as tentativas de seu pai contra a vida de seu melhor amigo, ele ficou surpreso e em descrença. Davi jurou a Jônatas que Saul estava tentando matá-lo e isso foi escondido por causa do amor de Jônatas por Davi. Com seu amigo ainda incrédulo, Davi instruiu Jônatas a dizer a Saul que ele estava viajando para sua cidade natal participar de um sacrifício com seu clã, se Saul estivesse de acordo então saberia que Davi estava seguro, se, porém, Saul ficasse irado, então Davi estaria em risco.[30] Os dois também fizeram uma aliança, em que um mostraria lealdade para com o outro.[31]Quando Davi não estava presente no dia seguinte, Saul perguntou a Jônatas sobre ele e ele disse que estava em Belém. Saul ficou furioso e atacou seu filho, dizendo que Davi deveria ser morto, no entanto, Jônatas perguntou por que e Saul atirou uma lança em se próprio filho.[32]

Na manhã seguinte, Jônatas foi e se encontrou com Davi perto de algumas pedras no campo, conforme haviam combinado.[33] Quando Davi soube que o rei estava furioso com sua ausência, ele o beijou na bochecha (uma saudação cultural) e chorou fortemente. Finalmente David foi enviado por Jonathan em paz.[34] De lá Davi fugiu para Nobe, onde se encontrou com o sacerdote Aimeleque, a quem ele disse estar em uma missão altamente secreta para o rei. Davi pediu ao sacerdote um pouco de pão, e o único tipo que havia era o da proposição, então o sacerdote perguntou a Davi se ele teve relação com mulheres, ao que Davi negou, então ele lhe deu o pão. Davi também perguntou se havia alguma arma para sua proteção, ao que Amileque lhe entregou a única disponível, a espada de Golias.[35]

Falsa insanidade[]

Mais tarde naquele dia, Davi foi para os domínios de Aquis, rei de Gate, uma cidade filisteia. Os servos do rei o reconheceram então Davi temeu por sua vida. Com medo do que os filisteus poderiam fazer com ele, Davi fingiu estar louco. Aquis sentiu repulsa pela suposta insanidade de Davi e o expulsou de Gate.[36] Durante esse tempo, ele compos um salmo descrevendo suas emoções de medo.[37]

Exército de Davi[]

Depois de sair de Gate, Davi escapou para a caverna de Adulão. Durante esse tempo ele escreveu um salmo.[38] Nessa época a família de seu pai foi até lá encontra-lo. Também se juntaram alguns indivíduos desfavorecidos, que ouviram que ele está lá, com isso haviam quatrocentos homens com ele. Como estava sendo caçado por Saul, Davi foi até Mizpá e pediu ao rei de Moabe que protegesse seus pais.[39]

Enquanto Davi planejava se refugiar na cidade, o profeta Gade veio até ele e lhe disse para não ficar na fortaleza, mas sim em Judá. Davi obedeceu e se escondeu na Floresta de Herete.[40]

Quando Saul descobriu que pessoas de seu próprio reino tinham se ajuntado a Davi, ele ficou furioso, e chamou todos os seus oficiais e brigou com eles. Então o pastor-chefe de Saul, Doeg, o edomita, notificou o rei de que havia visto Davi em Nobe e que Aimeleque o abrigara e lhe dera provisões e a espada de Golias. Com isso, Saul mandou chamar a Aimeleque e a família de seu pai. Então ele os acusou de conspirar com Davi para derrubá-lo, no entanto, o sumo sacerdote defendeu-se, dizendo que nada tinha a ver com as disputas entre dos dois. Saul, porém, não acreditou em suas palavras e mandou que seus oficiais matassem os sacerdotes, mas eles se recusaram, então ele ordenou a Doegue que o fizesse, e ele o fez. eus oficiais se recusaram a levantar as mãos contra os sacerdotes, e Saul voltou-se para Doeg, que realizou as execuções. Saul seguiu com um ataque à cidade de Nobe, a cidade dos sacerdotes, e as famílias dos sacerdotes – homens, mulheres e crianças – foram passadas à espada. Apenas Abiatar escapou e fugiu para se juntar a Davi.[41]

Abiatar chegou à Davi e contou sobre o massacre de Nobe ordenado por Saul, e Savi se sentiu culpado pelas mortes.[42] Em seu desprezo por Doegue, ele escreveu um salmo, amaldiçoando as ações de Doegue[43] enquanto expressava sua confiança em Deus.[44]

Por fim, Davi ouviu que a cidade israelita vizinha de Queila estava sendo atacada. Como Davi tinha um pequeno exército, ele decidiu considerar um contra-ataque aos filisteus em defesa da cidade, e então orientação a Deus. Essa ideia foi rejeitada pelos homens de Davi, que contestaram que não seriam capazes de deter as forças filisteus quando estavam sendo caçados pelo exército de Saul. Mais uma vez Davi consultou o YHWH e Ele disse a Davi que os filisteus seriam entregues em suas mãos. Então Davi com seu exército desceu para Queila, infligindo pesadas baixas aos atacantes filisteus e resgatando a cidade.[45]

Em movimento[]

Quando Saul soube que Davi estava em Queila, ele reuniu seu exército para atacá-la. Quando Davi soube, ele consultou o Senhor, querendo saber se Saul destruiria toda a cidade para matá-lo. Como o Senhor respondeu que sim, Davi e seus homens deixaram a cidade, e Saul parou sua marcha.[46]

Depois de deixar Qeila, Davi e seu exército foram para Horesa no deserto de Zife. Nessa época, Jônatas se encontrou com Davi, e eles reafirmaram seu juramento de lealdade. No entanto, os zifeus foram até a Saul e lhe disseram que Davi estava em Horesa. Então Davi e seus homens se mudaram para o deserto de Maom, e Saul planejou cerca-lo e captura-lo, mas antes que pudesse, vieram-lhe mensageiros informando que os filisteus estavam atacando Israel. Com isso, Saul saiu para enfrentar os filisteus, enquanto Davi se mudou para En-Gedi.[47]

Davi poupa Saul[]

Quando Saul soube que Davi estavam em En-Gedi, ele levou três mil dos melhores soldados de Israel e começou uma busca perto dos "Rochedos dos Bodes Selvagens". Perto havia uma caverno e no fundo dela estavam acampados Davi e seus homens. Sem saber disso, Saul entrou na caverna e dormiu. Quando os homens de Davi souberam disso, eles disseram que era aquele o dia em Deus entregaria Saul em suas mãos. Davi se aproximou furtivamente de Saul, mas o remorso abateu-lhe a alma e ele apenas cortou parte de seu manto e disse que não poderia matar o ungido de Deus.[48]

Então Davi e seus homens saíram da caverna e ele gritou a Saul dizendo que poderia tê-lo matado, mas não o fez, pois não queria o seu mal. Saul saiu então da caverna e conversou brevemente com Davi, e o fez jurar que não eliminaria sua descendência. Com isso os dois se separaram, com Saul indo para casa e Davi e seus homens voltando para a fortaleza.[49]

Morte de Samuel e novas esposas[]

Algum tempo depois, o profeta Samuel faleceu e toda a Israel pranteou, depois disso Davi se mudou para o deserto de Parã.[50] Enquanto estava lá, o exército de Davi acampou ao redor da propriedade de um homem chamado Nabal, formando um "muro" ao redor de seus rebanhos.[51] Quando os homens ficaram com fome, Davi enviou mensageiros a Nabal, mas recebeu apenas insultos. Quando Davi ouviu isso, ele reuniu quatrocentos homens e se dirigiu a Nabal.[52] Enquanto ele e seus homens marchavam, Davi jurou matar todos os homens de Nabal, pois ele havia pagado o bem com o mal.[53] Nesse momento, Abigail, a bela e inteligente esposa de Nabal,[54] se aproximou do grupo com jumentos carregados com comida e vinho.[55] e desceu de sua montaria e prostrou-se diante de Davi e pediu que ele desculpasse a maldade e a falta de generosidade de Nabel e ofereceu comida a Davi e seus homens.[56]

Depois que ela falou, Davi louvou a Deus e disse a Abigail que ela era uma bênção. Então ele pegou a comida e a mandou de volta para casa em paz.[57] No entanto, Deus se vingou em nome de Davi e matou Nabal.[58] Quando Davi soube disso, ele louvou ao Senhor e mandou mensageiros a Abigail, convidando-a a se tornar sua esposa, ao que ela aceitou.[59] Nessa época, ele também se casou com uma mulher chamada Ainoã.[60]

Davi no acampamento de Saul[]

Mais uma vez, relatórios informaram Saul sobre a localização de Davi, desta vez na colina de Haquilá. Então Saul trouxe três mil homens e acampou perto da colina onde Davi estava escondido. Depois de saber que Saul estava por perto, Davi decidiu entrar sorrateiramente em seu acampamento à noite com Abisai. Enquanto estavam no acampamento, Davi e Abisai encontraram Saul dormindo. Abisai quase tirou a vida de Saul com sua própria lança, mas Davi evitou isso, porque sabia que eles não poderiam matar o ungido de Deus. Embora Davi e Abisai não pudessem matar Saul, eles roubaram o jarro de água e a lança ao lado dele.[61]

Depois disso, eles correram para fora do acampamento e voltaram para a colina de Haquilá. Uma vez que Davi estava de volta na colina, ele gritou para Abner, dizendo que ele não havia cumprido seu dever de proteger o rei designado por Deus e sofreria o castigo divino. Quando Saul ouviu a conversa, ele reconheceu a voz na colina como sendo de Davi. Saul chamou Davi e este perguntou por que ele o estava perseguindo. Saul percebeu que havia pecado, porque não tinha motivos justificados para perseguir Davi. Davi devolveu a lança e Saul o abençoou. Assim Davi seguiu seu caminho e Saul voltou para sua casa.[62]

Davi na Filístia[]

Servo de Aquis[]

Davi, porém, sabia que isso seria de curta duração, então ele decidiu se mudar para a Filístia, para fugir do alcance de Saul. Então ele e seu exército, levando suas famílias, foram para para Gate, sob a proteção do rei Aquis. Enquanto no passado Davi tinha medo de Aquis, agora ele era favorecido aos seus olhos como um servo. Quando Saul soube que Davi estava em Gate, ele finalmente parou de persegui-lo.[63]

Davi pediu alguma cidade para ele e seus homens viverem, então Aquis lhe deu Ziclague. Enquanto vivia lá, Davi liderou seu exército contra os inimigos dos filisteus, como os amalequitas, os gesuritas e os gersitas. Quando liderava esses ataques, ele não deixava testemunhas e saqueava todo o gado, objetos de valor e mesmo roupas.[64] Eventualmente, pensou Aquis, Davi se tornaria tão odiado por seu povo que o serviria por toda a vida.[65]

Certa vez, quando os filisteus planejaram atacar os israelitas em Jezreel e Afeque, Davi e seus exércitos serviram como uma milícia de guarda-costas protegendo o rei Aquis.[66] Quando os outros comandantes filisteus viram que Aquis tinha uma milícia de hebreus, eles exigiram que ele fosse enviado de volta.[67]

Saque de Ziclague[]

David, desapontado por não poder servir sob o comando de Aquis, voltou a Ziclague na manhã seguinte.[68] Após uma viagem de três dias de volta a Ziclague, ele e seus homens descobriram que a cidade tinha sido invadida pelos amalequitas, e tudo o que eles tinham, incluindo suas famílias, haviam sido levados como prisioneiros. Davi ficou muito angustiado, mas fortaleceu-se no Senhor.[69]

Davi chamou Abiatar e perguntou ao Senhor se deveria perseguir os invasores. Como YHWH disse que ele e seus homens conseguiriam libertar os prisioneiros, ele reuniu seus homens e foram ao riboeiro de Besor, onde duzentos homens, exaustos de mais para atravessar, ficaram para trás. Então Davi levou os outros quatrocentos para continuar a perseguição aos amalequitas. Depois de descobrir um escravo egípcio abandonado pelos invasores, Davi e seu exército foram conduzidos aos amalequitas, que estavam festejando os muitos bens que tomaram da terra dos filisteus e de Judá. Davi e seus homens lutaram do amanhecer até à tarde e recuperaram tudo o que fora saqueado.[70]

Depois de retornar, alguns dos homens que lutaram começaram a resmungar que aqueles que haviam ficado para trás não recebessem parte dos despojos. No entanto, Davi decidiu que todos teria sua parte, o que se tornou um decreto de Israel. Ele também enviou parte dos bens às autoridades de Judá.[71]

Morte de Saul[]

No terceiro dia do retorno a Ziclague, um amalequita chegou à cidade e informou-o de que Saul e Jônatas haviam sido mortos em batalha. No entanto, ele não contou a verdade, e preferiu dizer que havia sido ele que matara Saul, a seu pedido. Então Davi rasgou suas vestes em desespero e escreveu um lamento, que está registrado no Livro de Jasar. Como amalequita alegou ter matado Saul, Davi ordenou que ele fosse morto.[72]

No total, Davi viveu na Filístia um ano e quatro meses.[73]

Rei de Judá[]

Luta pelo reino[]

Logo após a morte de Saul, Davi foi para Judá, e se estabeleceu em Hebrom, como o Senhor havia instruído. Davi levou consigo suas esposas, Ainoã e Abigail. Quando ele estava na cidade, o povo de Judá foram até ele e o ungiram seu rei. Embora Davi tivesse sido feito rei sobre Judá, o resto do reino ficou sem um até cinco anos depois, quando Esbaal, o mais jovem dos filhos de Saul, foi feito rei.[74]

Devido a essa divisão, surgiu uma guerra civil entre Judá e Israel. Enquanto a facção de Davi se fortalecia, a Casa de Saul ficava mais fraca.[75] Enquanto a guerra prosseguia, Abner ia se tornando mais poderoso. Em certa ocasião, Esbaal acusou Abner de se deitar com Ripa, filha de Aaiá, que fora concubina de Saul. Isso irritou-o e ele decidiu iniciar negociações com Davi e enviou-lhe mensageiros. Davi respondeu que estava disposto a negociar, mas antes queria que Mical lhe fosse devolvida.[76] Ele também entrou em contato com os líderes das tribos de Israel. Davi ofereceu um banquete a Abner e os homens que estavam com ele. Os dois conversaram sobre os preparativos para a proclamação de Davi como rei e então Abner foi embora.[77]

Assassinatos[]

No entanto, Joabe, comandante do exército de Davi, enviou mensageiros a Abner, enganando-o. Quando o general voltou, Joabe o matou, em vingança pela morte de seu irmão, Asael.[78] Quando Davi soube disso, ficou em grande desespero e cantou um lamento e chorou por Abner. Como Davi estava muito desesperado, o povo sabia que ele não estava envolvido no assassinato de Abner.[79] Com raiva pelo que Joabe fizera, Davi amaldiçoou-o e à sua descendência:

Caia a responsabilidade pela morte dele sobre a cabeça de Joabe e de toda a sua família! Não faltem jamais em sua casa homens atacados de sarna ou lepra, quem se apoie em muleta, quem caia à espada, ou quem necessite de pão.[80]

Quando soube da morte de Abner, Esbaal ficou com medo. Algum tempo depois, ele foi assassinado por dois de seus próprios capitães, Baaná e Recabe, filhos de Rimom. Embora os dois tenham esperado serem recompensados, Davi ordenou suas mortes, devido ao mal que haviam feito.[81]

Filhos em Hebrom[]

Algum tempo depois de se tornar rei de Judá, Davi tomou mais esposas e alguns concubinas. Enquanto em Hebrom, nasceu-lhe seu primogênit, Ammom, filho de Ainoã. Algum tempo depois, nasceram Quileabe (também chamado Daniel), filho de Abigail; Absalão, filho de Maaca, filha de Talmai, rei de Gesur; Adonias, filho de Hagite; Sefatias, filho de Abital; e Itreão, filho de Eglá.[82][83]

Rei de Israel[]

Os anciãos de todas as tribos se reuniram em Hebrom, de onde Davi reinava sobre Judá. Os anciões finalmente reconheceram que Davi havia sido ungido por Deus para ser o governante de Israel.[84] Davi tornou-se rei de Israel aos trinta e sete anos.

Cidade de Davi[]

Uma vez que ele foi reconhecido como rei por todo o povo, Davi marchou com seu exército para Jerusalém, onde viviam os jebuseus. Os jebuseus zombaram de Davi dizendo que mesmo os cegos e os coxos poderiam impedi-lo de entrar na cidade.[85] Davi deu um desafio a seus soldados, o primeiro a atacar os jesubeus seria o comandante do exército. Joabe foi o primeiro, e por isso recebeu o comando.[86]

Assim Jerusalém foi atacada e capturada e Davi mudou sua residência para lá. Davi ficou ainda mais poderoso depois de ocupar Jerusalém, porque Deus estava com ele.[87] Ele também firmou uma parceria com Hirão de Tiro, que providenciou suprimentos e trabalhadores para construir um palácio para Davi.[88]

Filisteus[]

Os antigos inimigos de Israel, os filisteus, logo souberam que Davi se tornara rei de todo Israel. Sentindo-se ameaçados, eles reuniram todo o exército para atacá-lo. Quando Davi soube, ele perguntou ao Senhor se deveria atacá-los, ao que Deus respondeu que os filisteus seriam entregues em suas mãos. Então Davi atacou os filisteus e estes fugiram, mas voltaram e montaram acampamento. Desta vez, Deus instruiu Davi a dar a volta por trás e os atacar. Portanto, o nome do rei Davi tornou-se conhecido em todo o mundo e era temido por todas as nações.[89]

Levando a arca para Jerusalém[]

Depois que Davi construiu edifícios para si e seu governo, ele preparou um lugar para a Arca da Aliança. Ele reuniu um grande grupo de sacerdotes, músicos e soldados para levar a Arca da casa de Abinadabe para Jerusalém. No entanto, durante a travessia, os que puxavam o carroção tropeçaram e Uzá, filho de Abinadabe, tocou a Arca, em violação à lei divina,[90] e foi morto pelo Senhor. Devido a morte de Uzá, Davi ficou com medo e decidiu não levar a Arca para Jerusalém. Em vez disso, ela foi deixada na casa de Obede-Edom, um filisteu convertido, e lá ficou três meses, e o Senhor abençoou a ele e sua família. Com isso, Davi percebeu que seu medo de levar a Arca era infundado e decidiu levá-la para a cidade.[91]

No entanto, dessa vez, seriam os levitas que carregariam a Arca com as varas carregadas em seus ombros, assim como Deus havia ordenado. Assim, os sacerdotes e os levitas se consagraram. Quando eles entraram na cidade, Davi dançou em manto e colete de linho.[92]

Após o desfile, Davi ofereceu sacrifícios e holocaustos ao Senhor e distribuiu pão e bolos aos homens e mulheres de Israel.[93] Então Davi voltou para sua casa para abençoar sua família. No entanto, Mical, sua primeira mulher, ficou com raiva dele, porque havia dançado na frente das mulheres "como um homem vulgar". Em resposta, Davi disse que estava celebrando e que se rebaixaria e humilharia ainda mais, mas seria honrado pelas mulheres. Então Mical não teve filhos.[94]

Aliança Davídica[]

Depois que David transferiu sua vida e governança para o palácio, ele ficou chateado porque, enquanto vivia em uma casa majestosa, a Arca da Aliança estava em uma tenda. Ele disse isso ao seu Vidente Real e profeta Natã. Embora Natã originalmente não tivesse objeções, Deus revelou a ele uma mensagem para Davi. Depois de ouvi-la, Natã transmitiu a mensagem de Deus a Davi. Na revelação, Deus lembrou a Davi que ele o levou de pastor a governante do povo escolhido de Deus. Davi foi informado de que Deus havia exterminado todos os seus inimigos e prometido que o nome de Davi seria engrandecido. Além disso, David foi informado de que sua casa seria estabelecida para sempre; que seu sucessor seria um de seus próprios descendentes e seria o único a construir a casa para a Arca.[95]

Na alegria desta aliança, Davi foi e orou a Deus. Ele expressou admiração que de sua família seria estabelecida uma monarquia permanente sobre Israel. Davi reconheceu, uma vez que Deus havia prometido a ele essas coisas, ele manteria sua aliança. Isso lhe deu coragem para fazer sua oração diante de Deus.[96]

Rei guerreiro[]

Com o passar do tempo, Davi obteve muitas vitórias militares sobre outras nações, levando muitos à submissão. Embora os filisteus tivessem sido derrotados, Davi continuou a perseguir os remanescentes de seu exército. Os moabitas também foram derrotados e assim se tornaram um estado tributário. Davi também derrotou o príncipe Hadadezer de Zobá, quando ele capturou seu monumento perto do rio Eufrates. Quando os arameus de Damasco chegaram para reforçar Hadadezer, foram derrotados; isso os levou a se tornar um estado tributário também.[97]

Davi tomou os escudos de ouro dos oficiais de Hadadezer e também muitas peças de bronze das cidades controladas por ele. Quando Toú, rei de Hamate e inimigo de Hadadezer, soube da vitória de Davi, ele mandou seu filho, Jorão, como emissário e muitos utensílios de ouro, prata e bronze. Davi pegou os tesouros saqueados e os consagrou ao Senhor. Davi também estabeleceu guarnições em muitos dos territórios que capturou. [98]

Casa de Saul[]

Algum tempo depois, Davi perguntou se ainda havia alguém da Casa de Davi que estava vivo. Ziba, servo de Saul, foi inquirido e disse que Mefibosete, filho de Jônatas, ainda vivia. Como Mefibosete era aleijado dos pés, foi levado à presença de Davi e recebeu bondade por causa de seu pai, e Davi lhe restituiu a herança de Saul. Mefibosete também recebeu um lugar de honra e respeito na mesa de Davi.[99]

Amonitas e arameus[]

A certa altura, Naás, rei dos amonitas, morreu e seu filho Hanum o sucedeu. Para mostrar bondade e diplomacia, Davi enviou emissários para consolar Hanum. Quando os enviados vieram ao encontro de Hanun, ele os capturou e raspou suas barbas e cortou suas vestes na cintura. Isso foi feito porque Hanum foi convencido pelos líderes amonitas de que eles eram espiões reunindo informações para atacá-los.[100]

Quando Hanum percebeu que eles haviam irritado David, ele contratou um exército de mercenários. Davi agiu imediatamente e enviou Joabe e suas forças para responder a eles. ​​Joabe e Abisai derrotaram os arameus e os amonitas e voltaram a Jerusalém. No entanto, os arameus voltaram a se reunir e Davi convocou o exército e o liderou pessoalmente em batalha, infligindo pesadas baixas aos arameus.[101]

Adultério e Assassinato[]

Referências[]

  1. 1 Samuel 16:21
  2. 1 Samuel 22:24
  3. 1 Crônicas 2:10
  4. 1 Samuel 17:34-37
  5. 1 Samuel 15:23
  6. 1 Samuel 16:1-3
  7. 1 Samuel 16:6-10
  8. 1 Samuel 16:11
  9. 1 Samuel 16:13
  10. 1 Samuel 16:14-18
  11. 1 Samuel 16:19-22
  12. 1 Samuel 17:13
  13. 1 Samuel 17:16
  14. 1 Samuel 17:1-10
  15. 1 Samuel 17:17-18
  16. 1 Samuel 17:20
  17. 1 Samuel 17:22
  18. 1 Samuel 17:23-29
  19. 1 Samuel 17:32-37
  20. 1 Samuel 17:37-47
  21. 1 Samuel 17:48-53
  22. 1 Samuel 17:55-58
  23. 1 Samuel 17:54
  24. 1 Samuel 18:1-4
  25. 1 Samuel 18:1-11
  26. 1 Samuel 18:12-30
  27. 1 Samuel 19:1-8
  28. 1 Samuel 19:9-14
  29. 1 Samuel 19:18-24
  30. 1 Samuel 20:1-7
  31. 1 Samuel 20:15-17
  32. 1 Samuel 20:24-34
  33. 1 Samuel 20:39
  34. 1 Samuel 20:41-43
  35. 1 Samuel 21:1-9
  36. 1 Samuel 21:10-15
  37. Salmos 34
  38. Salmos 57
  39. 1 Samuel 22:1-4
  40. 1 Samuel 22:5
  41. 1 Samuel 22:6-20
  42. 1 Samuel 22:21-23
  43. Salmos 51:1-7
  44. Salmos 51:8,9
  45. 1 Samuel 23:1-5
  46. 1 Samuel 23:7-13
  47. 1 Samuel 23:14-39
  48. 1 Samuel 24:1-6
  49. 1 Samuel 24:7-23
  50. 1 Samuel 25:1
  51. 1 Samuel 25:15
  52. 1 Samuel 25:5-13
  53. 1 Samuel 25:20-22
  54. 1 Samuel 25:3
  55. 1 Samuel 25:18
  56. 1 Samuel 25:23-31
  57. 1 Samuel 25:32-35
  58. 1 Samuel 25:28
  59. 1 Samuel 25:39-42
  60. 1 Samuel 25:43
  61. 1 Samuel 26:1-12
  62. 1 Samuel 26:13-25
  63. 1 Samuel 27:1-4
  64. 1 Samuel 27:5-9
  65. 1 Samuel 27:12
  66. 1 Samuel 28:1,2
  67. 1 Samuel 29:1-5
  68. 1 Samuel 29:6-11
  69. 1 Samuel 30:1-6
  70. 1 Samuel 30:7-20
  71. 1 Samuel 30:21-31
  72. 2 Samuel 1
  73. 1 Samuel 27:7
  74. 2 Samuel 2:1-4
  75. 2 Samuel 3:1
  76. 2 Samuel 3:7-14
  77. 2 Samuel 3:17-21
  78. 2 Samuel 3:26-27
  79. 2 Samuel 3:32-37
  80. 2 Samuel 3:29
  81. 2 Samuel 4
  82. 2 Samuel 3:2-5
  83. 1 Crônicas 3:1-3
  84. 2 Samuel 5:1-4; 1 Crônicas 11:1-3
  85. 2 Samuel 5:6,7
  86. 1 Crônicas 11:6
  87. 2 Samuel 5:10; 1 Crônicas 11:9
  88. 2 Samual 5:11,12; 1 Crônicas 14:1,2
  89. 2 Samuel 5:17-25; 1 Crônicas 14:8-17
  90. Números 4:15
  91. 2 Samuel 6:1-12
  92. 1 Crônicas 15
  93. 1 Crônicas 16:1-3
  94. 2 Samuel 6:18-23
  95. 2 Samuel 7:1-17; 1 Crônicas 17:1-15
  96. 2 Samuel 7:18-29; 1 Crônicas 17:16-27
  97. 2 Samuel 8:1-5; 1 Crônicas 18:1-5
  98. 2 Samuel 8:6-14; 1 Crônicas 18:6-14
  99. 2 Samuel 9
  100. 2 Samuel 10:1-4
  101. 2 Samuel 10:6-19
Advertisement