Wiki Bíblia
Advertisement

"Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre domina-lo."
— Deus (Genesis 4:7)

Genesis 4 é o quarto capítulo do Livro de Genesis. Nele, são descritos os resultados imediatos de Gênesis 3 e os filhos de Adão e Eva são apresentados. Nele aparecem Caim e Abel, e o primeiro assassinato e morte do universo é mostrada. O destino e a vida de Caim são retratadas nesse capítulo, assim como sua descendência é revelada.

Sinopse[]

Adão e Eva foram expulsos do Jardim do Éden, vivendo num mundo cheio de pecado e tristeza. Um mundo condenado, onde eles teriam que sofrer as consequências de seus próprios erros longe do Pai. Lá, mesmo após o pecado e vendo o Éden protegido por querubins, eles continuaram adorando à Deus e crendo na vinda do tão esperado Messias para vir lhes libertar.

Vivendo agora em cavernas, ambos viveram suas novas vidas normalmente e tiveram vários e vários filhos. O primeiro desse filho foi chamado de Caim, e o segundo chamou-se Abel. Por toda a humanidade ser vegetariana ainda e depender dos frutos da terra para sobreviver, Adão trabalhou como agricultor e Caim seguir a mesma profissão do pai para o sustento da família. Abel já se tornou pastor de ovelhas, utilizando as ovelhas não como alimento, mas cuidando delas para posteriormente sacrifica-las à Deus como um símbolo do sacrifício futuro do Messias, conforme Deus havia revelado e ordenado aos seus pais.

Certa vez, Deus se revelou para a primeira família e exigiu um sacrifício. Desobedecendo à Deus e querendo mostrar um sacrifício belo, sem compreender totalmente o sacrifício futuro do Messias e nem com o coração totalmente aberto para Ele de fato, Caim ofereceu frutas como sacrifício. Já Abel ofereceu aquilo que o Senhor mandou: Um horrível e sangrento cordeiro degolado, simbolizando à Cristo e fazendo aquilo por amor, com o coração totalmente aberto à atuação divina em sua vida.

Deus logo aceitou o sacrifício de Abel e recusou o de Caim. Caim ficou chateado quanto a isso, e Deus viu a impureza e os desejos malignos no coração dele, bem como o seu orgulho e sua recusa a mudar. Sendo bem franco com Caim, Deus questionou-o quanto a isso e advertiu-o a fazer aquilo que é certo, e que o pecado jazia a porta e cabia a ele domina-lo. Infelizmente, depois de certo tempo, Caim não seguiu o conselho do Senhor, nem se arrependeu e nem abandonou seu orgulho, muito menos conteve seus desejos malignos. Tomado por um ódio irracional satânico, aproveitando-se da inocência e confiança conquista de Abel, Caim atraiu-o para um lugar afastado no campo e o matou lá, cedendo aos seus desejos mais vis.

Após fazer isso, Deus novamente se revelou para ele e sua família, questionando Caim acerca do pecado que havia cometido buscando uma confissão, da mesma forma com que havia feito anteriormente com seus pais quando eles cometeram o pecado original. Em distinção clara com ele, Caim mentiu para Deus de maneira cínica e negou saber onde Abel estava. Irado com tamanha injustiça, Deus então revelou saber do pecado de Caim e o revelou para toda sua família. Deus poupou sua vida, mas amaldiçoou-o fazendo com que ele não pudesse colher mais dos frutos da terra e fosse um agricultor miserável, condenando-o a fome e miséria pelo resto de sua vida como consequência de seu pecado. Novamente em um outro ato de misericórdia e amor, Deus atendeu ao pedido de um covarde Caim dando-lhe uma marca distinta, que deixava claro quem ele era, e quem o matasse para vingar Abel ou por qualquer outro motivo receberia a mesma maldição que Caim recebeu 7 vezes pior.

Após a divina condenação e a imposição da marca como medida protetiva, Caim se casou com uma parente sua e partiu da casa de seu pai, indo viver sozinho com ela em uma região até então deserta ao leste do Éden, a qual eles chamaram de Terra de Node. Lá, eles tiveram um filho chamado de Enoque, e foi lá que Caim criou uma nova civilização patriarcal da qual ele era o líder. Enquanto a família de Adão vivia em cavernas longe, Caim se fixou em Node e lá fundou a primeira cidade do mundo: A Cidade de Enoque, nomeada assim em homenagem ao seu primogênito. Assim, Caim tem sua descendência, que se forma e se tornam os habitantes daquele território e daquela cidade, passando a representar a maior parte da população mundial daquela época.

Enoque tem como filho Irad, Irad tem Meujael, Meujael tem Metusael e Metusael tem como filho Lamaque. Lameque torna-se o primeiro poeta da história da humanidade, bem como foi o primeiro a praticar pecados sexuais de fato, envolvendo-se em poligamia ao se casar com Ada e Zilá. Certo dia, Lameque revela ter matado ao próprio Caim e também a um jovem rapaz, entoando um poema/hino contando a isso e revelando estar amaldiçoado, e quem o matasse seria 70 vezes 7 vezes amaldiçoado. Após todos esses fatos, Lameque teve 3 filhos: Jabal, Jubal e Tubalcaim. Jabal tornou-se o primeiro comerciante nômade da história e pastor de gado. Jubal tornou-se o criador dos primeiros instrumentos musicais, bem como o primeiro compositor e primeiro músico humano. Já Tubalcaim tornou-se o primeiro artífice de ferro, criador do bronze e do cobre, e também o primeiro ferreiro e primeiro químico da história da humanidade.

Toda a geração que proveio de Caim pode até ser brilhante e genial, mas era totalmente perversa, maligna e cruel. Em compensação, Deus não permitiu que o mundo fosse totalmente habitado por uma linhagem caída e nem deixou o primeiro casal desamparado. Eva novamente engravidou e teve um filho chamado Sete, que substituiu Abel em todas as suas funções e viveu uma vida de justiça, onde o mundo seria dominado por tudo aquilo que era podre ou mau. Felizmente, ele teve sua descendência também, e dessa descendência surgiu uma linhagem que servia ao Senhor.

Análise da História (Versículo por Versículo)[]

1 Adquiri um varão com o auxílio só SENHOR.O hebraico diz, literalmente: “Adquiri um varão, o SENHOR”. Quando Eva segurou seu primogênito nos braços, provavelmente se lembrou da promessa divina (Gn 3:15) e, acariciando a esperança de que ele fosse o Libertador prometido, deu-lhe o nome de Qayin, “adquirido”(DTN, 31). Pobre esperança! Seu ávido anseio pelo rápido cumprimento da promessa do evangelho estava destinado a doloroso desapontamento. Mal sabia ela que aquela criança se tornaria o primeiro assassino do mundo.

2Abel, seu irmão.O nome Abel significa “vaidade”ou “insignificância”.

3No fim de uns tempos.Literalmente, “ao fim de dias”... a palavra yamim, “dias”, é usada em vários exemplos em que o contexto deixa claro que se quer dizer um ano.

Trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. O que tornou a oferta de Caim inaceitável a Deus? A contragosto, Caim reconhecia parcialmente as reivindicações de Deus sobre ele. Mas um espírito secreto de ressentimento e rebelião o levou a cumprir os reclamos divinos de forma que ele mesmo escolheu, em vez de seguir precisamente o plano estabelecido por Deus. Aparentemente ele obedeceu, mas a maneira em que o fez revelava um espírito desafiador. Caim pretendia se justificar por suas próprias obras, ganhar a salvação por seus méritos. Ele se recusou a reconhecer que era pecador e que precisava de um Salvador. Apresentou uma oferta que não expressava nenhum arrependimento pelo pecado – uma oferta sem sangue. E “sem derramamento de sangue não há remissão”, pois “é o sangue que fará expiação pela alma” (Hb 9:22; Lv 17:11, ARC, PP, 71, 72)... Examinar bem o coração pode evitar que como Caim ofereçamos a Deus dons [dádivas] inúteis e inaceitáveis.

4Das primícias do seu rebanho. A oferta de Abel foi uma demonstração de fé. A oferta de Caim, em contraste, foi uma tentativa de obter a salvação pelas obras.

Agradou-se. Embora não seja revelada a maneira como Deus aceitou a oferta de Abel, ela consistiu na aparição de um fogo celestial para consumir o sacrifício, como ocorreu muitas vezes em épocas posteriores

5Ao passo que de Caim e de sua oferta. Caim notou a ausência de qualquer sinal visível do agrado de Deus e da aceitação da oferta. O resultado foi uma ira ardente e profunda... Caim não fez nenhuma tentativa de esconder sentimentos de desapontamento, insatisfação e ira. Sua face demonstrava o ressentimento.

6Por que andas irado? Fica aqui evidente, como nos v. 14 e 16, que Deus não deixou de ter contato pessoal com o ser humano quando o expulsou do jardim.

7Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta. Se Caim não mudasse, mas continuasse no caminho do mal, o pecado o dominaria. A frase “o pecado jaz à porta”(como um animal selvagem) é provavelmente um provérbio (ver 1Pe 5:8).

8Estando eles no campo.As obras de Caim “eram más, e as de seu irmão, justas”(1Jo 3:12). Foi por isso que Caim matou seu irmão. A inimizade entre o bem e o mal, predita por Deus antes da expulsão do jardim, era vista então pela primeira vez em sua forma mais horrível.

9Onde está Abel, seu irmão?Assim como ocorreu com Adão e Eva, Deus, então, foi atrás de Caim para pôr a transgressão na devida luz, a fim de despertar arrependimento em sua consciência culpada e crir nele um novo coração. Como Deus havia se dirigido aos pais de Caim com uma pergunta, fez o mesmo com ele. Os resultados, contudo, foram bem diferentes: Caim ousadamente negou sua culpa. A desobediência havia levado ao homicídio, ao qual ele acrescentava a mentira e o desafio, pensando cegamente que poderia ocultar de Deus o seu crime.

11És agora, pois, maldito. Alguns comentaristas têm interpretado esta passagem como indicando que Caim foi banido para uma região menos fértil. O contexto (v. 12, 14) parece favorecer essa explicação, ou talvez a ideia de que, pelo fato de Caim ter usado mal os frutos da terra, Deus não mais permitiria que ele ganhasse o sustento cultivando o solo. Alguém que é errante pela Terra (v. 14, 16), seja um pastor de ovelhas ou um nômade, não pode ser um agricultor bem-sucedido.

12Não te dará ele [o solo] a sua força. Caim estava condenado a vaguear perpetuamente a fim de conseguir alimento para si, para a família e o animais.

13Já não posso suportá-lo. Embora Caim merecesse a pena de morte, um Deus misericordioso e paciente lhe deu mais uma oportunidade de arrependimento e conversão. Mas, em vez de se arrepender, Caim reclamou da punição como sendo mais severa do que merecia.

14Quem comigo se encontrar. Caim se viu sem esperança de continuar vivo, com medo de que a maldição de Deus implicasse a retirada da restrição de sobre aqueles que buscassem vingar o sangue de Abel. Uma consciência culpada o advertia de que ele merecia morrer e que, daí em diante, sua própria vida estava em perigo.

15Assim. Em outras palavras, à declaração de Caim “Quem comigo se encontrar me matará”, Deus teria respondido “Não será assim”.

Sete vezes. Isto subentende uma penalidade severíssima para qualquer pessoa que assassinasse Caim ... A vida de Caim e de seus descendentes devia ser uma demonstração do que o pecado faz nos seres racionais

17E coabitou Caim com sua mulher. A repentina menção da mulher de Caim não deve criar problema. Gênesis 5:4 declara que Adão “teve filhos e filhas”além dos três filhos cujos nomes são mencionados. Os primeiros habitantes da Terra não tinham outra escolha exceto se casarem com seus irmãos e irmãs a fim de cumprirem a ordem divina: “Sede fecundos, multiplicai-vos”(ver At 17:26)... Tais casamentos foram mais tarde proibidos (Gn 1:28; ver Lv 18:6-17).

Ela concebeu e deu à luz a Enoque. O fato de Deus não impedir que o desobediente e réprobo Caim tivesse descendentes é outra evidência de Seu caráter misericordioso (Sl 145:9; Mt 5:45). O nome “Enoque”pode significar “dedicação”ou “consagração”; pode também significar “iniciação”.

Caim edificou uma cidade. É digno de nota que a primeira “cidade” do mundo tenha sido fundada pelo primeiro assassino, um indivíduo perversamente impenitente cuja vida, completa e irreversivelmente dedicada ao mal, foi vivida em desafio a Deus. Foi alterado, assim, o plano de Deus de que o homem vivesse em meio à natureza, contemplando nela o poder do Criador. Muitos males atuais são resultado direto do agrupamento antinatural de seres humanos em grandes cidades, onde os piores instintos predominam e vícios de todos os tipos florescem.

18A Enoque nasceu-lhe Irade. O caráter de Enoque, filho de Caim, [e de seus descendentes] está em contraste tão acentuado com o do Enoque da linhagem de Sete, que é impossível identificar os dois como uma só pessoa.Quanto aos outros pares de nomes [Lameque, Matusalém,] a semelhança é apensa superficial.

19Lameque tomou para si duas esposas. Lameque foi o primeiro a perverter o casamento, tal como este fora estabelecido por Deus, transformando-o na concupiscência dos olhos e da carne, sem ter sequer o pretexto de que a primeira esposa não tivesse tido filhos. A poligamia foi um novo mal que ficou arraigado durante longos séculos. Os nomes das esposas de Lameque sugerem atração sensual: Ada significa “adorno”e Zilá significa “sombra”ou “tilintar”.

22Naamá.Não se sabe por que a irmã de Tubalcaim é especificamente mencionada. A tradição judaica a identifica como a esposa de Noé. Seu nome, que significa “a bela”ou “a agradável”reflete a mente mundana dos cainitas, que olhavam para a beleza, e não para o caráter, como o principal atrativo das mulheres.

23Matei um homem. As palavras de Lameque, em forma hebraica poética, têm sido apropriadamente chamadas de o “Cântico de Lameque”. Tanto quanto se saiba saiba, esse cântico constitui a primeira composição poética do mundo. É difícil saber o significado exato de suas palavras um pouco enigmáticas. Orígenes escreveu dois livros sobre o “cântico”e depois declarou que ele não podia ser explicado.

25Sete. Depois de relatar o desenvolvimento da ímpia família de Caim, o autor volta a Adão e Eva e repassa brevemente a história daqueles que foram fiéis a Deus. Pouco depois a morte de Abel nasceu um terceiro filho, a quem sua mãe deu o nome de Sete, Seth, o “nomeado”, a “compensação”ou o “substituto”, em lugar de Abel. Eva, tendo visto que seu filho piedoso estava morto e reconhecendo que as palavras de Deus com respeito ao descendente prometido não podiam encontrar cumprimento no amaldiçoado Caim, expressou sua fé de que o Libertador prometido viria através de Sete. Sua fé foi recompensada, pois os descendentes de Sete obedeceram ao Senhor.

26 Enos. Em seu tempo, iniciou-se um culto mais formal. As pessoas, é claro, haviam invocado o Senhor antes do nascimento de Enos, mas à medida que o tempo passava surgiu uma distinção mais evidente entre aqueles que adoravam ao Senhor e aqueles que O desafiavam. A expressão “invocar o nome do Senhor”é usada frequentemente no AT (Sl 79:6; 116:17; Jr 10:25; Sf 3:9) para indicar adoração pública, como ocorre aqui.

Curiosidades[]

  • Esse capítulo é uma continuação direta de Gênesis 3, mostrando as consequências desse capítulo na vida do casal e de todo o mundo.
  • Esse é o primeiro capítulo em que algum ser humano morre.
  • A inimizade entre Caim e Abel é um espelho da inimizade que haveria entre os justos e os ímpios, entre aqueles que amam à Cristo e aqueles que não amam à Cristo. Provérbios 29:27 faz referência a isso, e o próprio Cristo declarou que sua vinda traria não a paz, mas sim a espada, justamente por conta dessa questão. Tal inimizade entre o justo e o ímpio é a causa das perseguições religiosas que ocorreram em nossa história e ocorre até hoje.
  • Caim e Abel são os primeiros seres humanos nascidos de relação sexual, e não criados diretamente por Deus. Eles também foram os primeiros a nascerem mortais.
  • Vemos nessa história um claro contraste entre Adão e seu filho Caim. Ambos são seres humanos criados por Deus, da mesma família, que falaram com Deus e pecaram enormemente e foram expulsos de seus respectivos lares por terem pecado (Adão comendo o fruto proibido, e Caim matando Abel). Isso, além do fato de que eles arcaram com as consequências de seus pecados pela resto de sua vida (Adão nunca mais retornou para o Éden e Caim nunca mais retornou para seu lar original), e ambos foram agricultores. A diferença, entretanto, está na atitude de ambos acerca do pecado. Adão pecou motivado por seu amor por Eva, enquanto Caim pecou motivado por seu ódio por Caim. Deus advertiu a ambos acerca do pecado e utilizou-se da mesma tática para resgata-los a conseguir a confissão deles. Adão se arrependeu de seus pecados, mas Caim não. Mesmo assim, Deus foi misericordioso com ambos e poupou-lhes a vida, bem como permitiram que eles tivessem uma grande descendência.
  • Caim foi o primeiro ser humano nascido em pecado que escolheu viver em pecado e morrer em pecado. Ele foi o primeiro assassino e o primeiro pecador não arrependido também.
  • Em Hebreus 11, Abel nos é apresentado com o primeiro Herói da Fé. Isso porque ele creu em Deus, tinha um relacionamento com Cristo e permaneceu fiel à Ele até morrer. Tanto é que foi pela fé que ele foi justificado, seu sacrifício foi aceito e ele morreu salvo. É uma lastima que ele tenha morrido de maneira trágica, ainda jovem, sem se casar e sem deixar descendência, traído pelo irmão que ele tanto amava... Mas o importante é que ele morreu com Cristo e que nós o veremos pessoalmente vivo e renovado na Nova Terra.
  • Abel foi o primeiro mártir da história da humanidade, tendo morrido por conta de sua fé. Sua morte se assemelha com a morte de Estêvão, o primeiro mártir cristão.
  • A história de Caim e Abel nos ensina muitas coisas: 1) Somos justificados pela fé (Sangue do cordeiro de Deus), e não pelas obras (Frutos do nosso próprio trabalho). 2) Deus não aceita o sacrifício que for mais bonito, belo ou honroso aos olhos humanos. Ele vê o coração, e é motivado pela sinceridade de coração de quem sacrifica que Ele o aceita ou não. 3) Todos nós temos desejo de pecar, ódio e somos malignos e homicidas por natureza. Mas é indispensável que nos arrependamos de nossos pecados e que peçamos a ajuda de Deus para contermos nossa natureza. Porque se nós não resistirmos através do domínio próprio que só o Espírito Santo pode dar, nós pecaremos e sofreremos amargamente com as consequências de nossos pecados. 4) Deus vê tudo e sabe tudo. Logo, não adianta tentar mentir, enganar ou esconder qualquer coisa de Deus. Jesus Cristo é um Deus de Justiça, e Ele irá vingar a todos os inocentes e mártires de todas as eras, punindo os pecados que assim insistem em permanecer em pecado. Ele vingou o sangue de Abel, então porque não vingaria o sangue dos demais profetas, apóstolos e cristãos mortos?
  • Assim como Caim matou Abel motivado pelo ódio, hoje milhares de perseguidores religiosos no passado, presente e futuro matam cristãos e servos de Deus motivados também pelo ódio. No entanto, assim como Deus veio e vingou o sangue inocente derramado de Abel, Ele também em breve virá para punir aos maus, vingando o sangue de todos aqueles que sofreram, morreram e deram a vida por Ele. Isso em todas as eras, desde a fundação do mundo até o Seu retorno, incluindo a Era Apostólica.
  • Esse capítulo nos revela a origem das primeiras cidades, da prática do assassinato, da prática do adultério, da prática da poligamia, dos nomadismo, da música, dos instrumentos musicais, do ferro, do cobre e de todas as armas de guerra. Isso porque todas essas coisas foram introduzidas no mundo por Caim e seus descendentes.
  • Esse é o primeiro capítulo bíblico a conter uma genealogia, sendo esta a genealogia de Caim. Ela se difere da genealogia de Sete no capítulo seguinte essa não contém as idades dos integrantes desta ao procriarem e morrerem. Essa genealogia é composta totalmente por gênios, pessoas más, perversas, rudes e cruéis. Felizmente, nenhum dos descendentes de Caim está vivo hoje, e toda a descendência de Caim que sobreviveu até os dias de Noé morreu com a vinda do Dilúvio.

Fontes e Referências:[]

CBSD - Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 223 - 230

Ellen White, Patriarcas e Profetas, cap. 6 ´´ Caim e Abel ´´, p. 52 - 56.

Advertisement