Wiki Bíblia
Advertisement

Isaque (hebraico: יצחק/ישחק "ele vai rir") filho de Abraão, era o filho que cumpriria a primeira geração da aliança abraâmica. Ele foi o antepassado dos israelitas, o povo escolhido de Deus. Ele nasceu da Sara, apesar de sua infertilidade anterior.

No entanto, antes disso, Sara pensou que era impossível, então ela tomou o assunto em suas próprias mãos, convencendo Abraão a engravidar sua serva egípcia chamada Agar. Como resultado, nasceu o primeiro filho de Abraão, Ismael. Depois disso, porém, a tensão aumentou entre as mulheres, mas Deus cumpriu sua promessa a Abraão e ela deu à luz Isaque aos noventa anos de idade.

Biografia[]

Quando Abraão foi chamado para deixar sua família e ir para Canaã, Deus disse a Abraão que ele seria o pai de muitas grandes nações, sendo uma em particular seu povo escolhido. Deus especificou que o filho que se tornaria o ancestral do povo escolhido seria da união de Abraão com sua própria esposa.[1]

Mas, embora a idade de Abraão não fosse um fator particularmente importante, uma mulher da idade de Sara (ela tinha 65 anos na época) era impensável. Depois de dez anos, Sara fez com que seu marido tomasse Agar, serva de Sarai, como concubina e filho dela parecia ser uma resposta à promessa.[2][3]

Vida pregressa[]

Eventualmente, Deus cumpriu Sua promessa e Sara engravidou e deu à luz a Isaque, quando ela tinha noventa anos e Abraão tinha cem anos. Com alegria, Sara riu e Abraão o chamou de Isaque. Quando Isaque tinha oito dias, Abraão o circuncidou. [4]

Sacrifício[]

Em algum momento da juventude de Isaque, seu pai o levou ao Monte Moriá. Ali Abraão deveria sacrificar conforme o Senhor lhe ordenara. Isaque foi informado de que eles estavam subindo a montanha para fazer um sacrifício, mas não havia cordeiro para a oferta. Isaque ponderou sobre isso e perguntou a seu pai sobre o cordeiro que eles precisavam para fazer um sacrifício, enquanto os materiais do altar estavam todos lá. Abraão disse a ele que Deus proveria o cordeiro, talvez percebendo que Deus não permitiria a morte de seu filho ou tornaria o sacrifício dele mais fácil. Eles continuaram subindo a montanha até o local que Deus havia instruído e Isaque carregou a lenha para fazer o altar.[5]

Abraão construiu um altar e colocou Isaque sobre ele, como Deus o havia instruído. Quando Abraão estava prestes a acabar com a vida de seu filho com sua faca, um anjo disse: "Não toque no rapaz. Não lhe faça nada. Agora sei que você teme a Deus, porque não me negou seu filho, o seu único filho. "[6] Em vez disso, ele foi instruído a sacrificar um carneiro próximo que estava preso em moitas.[7]

Casamento[]

Quando Isaque tinha cerca de 40 anos,[8] Abraão procurou confortar seu filho e garantir-lhe uma família futura.[9] Abraão chamou Eliézer, seu servo de maior confiança, e, sob juramento, confiou-lhe a tarefa de encontrar uma esposa para Isaque, mas não entre as mulheres dos cananeus e sim da parentela de Abraão.[10]

Eliezer embarcou para a cidade onde Naor vivera para encontrar a família de Abraão, orando a Deus para encontrar uma esposa para Isaque. Em resposta à sua oração, ele conheceu uma jovem chamada Rebeca, filha de Betuel, o arameu, filho de Naor. Com a aprovação de Betuel e de Labão, irmão de Rebeca, ela foi levada para as terras onde Abraão vivia para se casar com Isaque. Quando Isaque foi meditar em um campo, ele avistou o grupo se aproximando.[11]

Vendo Isaque, Rebeca desmontou de seu camelo. O Servo contou a Isaque os planos de casamento de seu pai, portanto Isaque a levou para a tenda de sua mãe e eles se tornaram marido e mulher. Aos quarenta anos, Isaque estava agora casado com uma mulher e encontrou confortado pela morte de sua mãe.[8][9]

Vida familiar[]

Assim como Sara, Rebeca também era estéril. Isaque então orou copiosamente para que sua esposa pudesse ter filhos e sua oração foi atendida; Rebeca concebeu de gêmeos. Quando nasceram, um era ruivo e peludo, por isso foi chamado Esaú. O segundo nasceu segurando o calcanhar do primeiro, por isso foi chamado Jacó. Isaque tinha sessenta anos quando teve seus primeiros filhos, vinte anos depois de casado.[12]

Esaú cresceu e se tornou caçador, enquanto Jacó preferia cuidar das tarefas domésticas. Isaque gostava das caças, então ele favorecia Esaú, enquanto Rebeca preferia a natureza mais calma de Jacó.[13]

Quinze anos após o nascimento dos gêmeos, Abraão morreu aos 175 anos.[14] Isaque se encontrou com seu irmão há muito perdido, Ismael, e juntos enterraram seu pai com sua primeira esposa, Sara.[15] Não há indicação de que Isaque tenha visto Ismael novamente. Os irmãos podem ter ficado ainda mais divididos depois de receberem a herança.[16]

Depois de uma cansativa jornada de caça, Esaú vendeu sua primogenitura a seu irmão em troca de um prato de lentilhas.[17] Sem o conhecimento de Isaque, suas posses não iriam para seu filho primogênito e favorito.

Refugiado na Filístia[]

Algum tempo depois que a primogenitura de Esaú foi vendida, uma fome atingiu a terra. Isaque foi obrigado a deixar a região onde vivia e intentou se refugiar no Egito, onde seu pai também ficara, no entanto, Deus disse a ele para não fazê-lo, então Isaque se refugiou em Gerar, na Filístia. Lá ele e sua família ficaram sob a proteção do rei Abimeleque.[18]

Enquanto em Gerar, Isaque repetiu o mesmo erro que seu pai cometeu em relação à esposa. Os filisteus começaram a perguntar a Isaque sobre Rebeca por sua beleza. Com medo de que os filisteus o matassem e levassem Rebeca, ele disse a eles que ela era sua irmã. Depois disso, Isaque permaneceu lá por muito tempo e viveu com sua esposa, que se pensava ser sua irmã. No entanto, certo dia, Abimeleque viu Isaque acariciando Rebeca de não da forma como um irmão faria com sua irmã, mas como um homem faria com sua mulher. Assim, Abimeleque convocou Isaque indignado, com medo de que um dos filisteus tivesse dormido com ela. Então Abimeleque colocou uma ordem de proteção sobre Isaque e sua esposa: qualquer um que trouxesse dano a qualquer um dos dois seria executado.[19]

Fortuna[]

Enquanto ainda vivia em Gerar, Isaque plantou e mais tarde naquele ano colheu cem vezes mais, porque Deus o havia abençoado. Isaque começou a entrar na classe alta e seu sucesso continuou até que ele ficou imensamente rico. Os rebanhos e trabalhadores de Isaque eram tão invejados por todos os filisteus que todos os seus poços (construídos por seu pai e dados por herança) foram enchidos com terra. Abimeleque até pediu a Isaque que se mudasse de Gerar, por ser considerado muito poderoso.[20]

A pedido de Abimeleque, Isaque mudou-se de Gerar para o vale próximo. Ao tentar colher água dos poços, Isaac encontrou resistência dos filisteus que reivindicavam a propriedade. Então Isaque fez seus servos cavarem outro poço, mas novamente foi expulso pelos homens de Gerar. Finalmente Isaque mudou-se para uma área e cavou um poço sem brigas sobre a propriedade. Ele o chamou de Reobote, porque "Agora o Senhor nos abriu espaço e prosperaremos na terra".; em contraste, ele nomeou os outros dois poços Eseque e Sitna nomeados para a briga.[21]

Dali Isaque armou sua tenda em Berseba e mandou seus servos construírem um altar e cavarem um poço. Enquanto ele estava em Berseba, Abimeleque junto com seu conselheiro, Auzate e Comandante Militar, Ficol veio a Beersheba para encontrar Isaque. A princípio Isaque ficou surpreso, devido a anterior falta de hospitalidade para com ele. Abimeleque explicou que desejava fazer um tratado de paz com ele. Isaque aceitou e deu um banquete para seus convidados. Na manhã seguinte, eles juraram o tratado de paz e os dois seguiram caminhos separados. Isaac voltou para Manre, onde seu pai morava perto de Hebron .[22]

Vida posterior[]

Quando tinha Isaque cem anos, seu primogênito casou-se com duas mulheres. No entanto, o que normalmente seria recebido com celebrações e banquetes, encheu Isaque de dor e angústia, pois ambas as mulheres eram hititas.[23]

Aproximadamente trinta anos depois, Isaque ficou cego e preocupado com sua mortalidade, por isso chamou Esaú para abençoá-lo. Isaque mandou que seu filho caçasse algum animal e o preparasse para que ele pudesse então dar-lhe sua bênção. Rebeca ouviu isso e lembrou-se de que o Senhor lhe dissera que o mais velho serviria ao mais novo, então conspirou para que Jacó recebesse a bênção de seu pai. Aproveitando-se da cegueira de Isaque, Rebeca vestiu Jacó com as roupas de seu irmão e cobriu sua pele com pele dos cabritos, para que se assemelha-se ao toque. Assim Jacó se apresentou diante de seu pai, embora tenha reconhecido a voz como sendo de Jacó, pediu-lhe que se aproximasse e o tocou e cheirou e se convenceu que de fato era Esaú.[24]

Mais tarde, Esaú entrou e apresentou a comida a seu pai, mas Jacó já havia recebido a bênção. Quando Isaque soube desse engano, ele tinha apenas uma profecia para colocar sobre seu filho favorito. Com isso, Esaú ficou cheio de ódio e jurou matar seu irmão assim que Isaque morresse. Rebeca percebeu profeticamente as intenções de Esaú e então foi falar com Isaque dizendo que não queria que Jacó se casasse com as mulheres daquela terra, como Esaú fizera, e pedindo-lhe que mandasse Jacó para a casa de Betuel, seu pai.[25]

Isaque então mandou Jacó para a casa de Betuel proibindo-o de se casar com uma cananeia.[26] Assim Esaú percebeu que suas esposas eram um aborrecimento para seu pai, então ele foi até a casa de Ismael e tomou Basemate, também chamada Maalate, filha de Ismael como esposa.[27]

Morte[]

Apesar de sua cegueira, Isaque viveu ainda mais de quarenta anos. Durante esse tempo, tanto Jacó quanto Esaú tiveram muitos filhos. Mas também houve uma tragédia, José, filho de Jacó, foi vendido por seus irmãos e dado por eles como se tivesse sido morto por uma fera.

Referências[]

  1. Gênesis 18:10
  2. Gênesis 16:2-4
  3. Gênesis 16:15
  4. Gênesis 21:4-6
  5. Gênesis 22:2-8
  6. Gênesis 22:12
  7. Gênesis 22:13
  8. 8,0 8,1 Gênesis 25:19-20
  9. 9,0 9,1 Gênesis 24:67
  10. Gênesis 24:3-4
  11. Gênesis 24:10-63
  12. Gênesis 25:25,26
  13. Gênesis 25:27-28
  14. Comparar Gênesis 25:7 e 21:1-2
  15. Gênesis 24:19
  16. Gênesis 25:18
  17. Gênesis 25:29-34
  18. Gênesis 26:1-6
  19. Gênesis 26:7-11
  20. Gênesis 26:12-16
  21. Gênesis 26:17-22
  22. Gênesis 17:23-33
  23. Gênesis 26:34-35
  24. Gênesis 27:1-29
  25. Gênesis 27:30-46
  26. Gênesis 28:1-4
  27. Gênesis 28:8-9
Advertisement